sábado, 21 de junho de 2014

Censo do Judiciário destaca qualificação dos servidores da Justiça Federal

PESQUISA

Segundo levantamento realizado pelo CNJ, índice de trabalhadores da Justiça Federal e da Justiça do Trabalho com formação em nível superior ultrapassa 80%

Chega a 89,4% o índice de servidores da Justiça Federal, entre eles oficiais de Justiça avaliadores federais, que possuem escolaridade em nível superior e de pós-graduação. Nesse critério, a categoria ocupa o segundo lugar entre os trabalhadores do Poder Judiciário brasileiro. O número é menor apenas do que o apurado entre servidores dos conselhos superiores, nos quais a parcela de graduados é de 91,1%. O índice de escolaridade em nível superior entre servidores do Judiciário segue ainda com a Justiça do Trabalho (88,5%); Justiça Eleitoral (79,8%) e Tribunais Superiores (78,0%), nesta ordem. A estatística é do Censo do Poder Judiciário 2013, realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e divulgado ontem (16). Na pesquisa foi aferido, também, o grau de satisfação dos servidores com a carreira, o ambiente de trabalho e o aparato instrumental dos tribunais e conselhos da Justiça.

O levantamento destacou o nível de comprometimento dos servidores do Judiciário para com a sociedade. Ao menos 80,2% dos profissionais se declararam satisfeitos pelo trabalho prestado aos cidadãos. Para 98,0% dos trabalhadores da Justiça, as atividades realizadas por eles melhoram o desempenho dos órgãos aos quais estão lotados. Apesar de apenas 42,9% dos servidores se julgarem felizes com o salário que recebem, o grau de satisfação com a escolha profissional de trabalhar no Judiciário foi de 90,5%. As boas práticas de iniciativa dos servidores também obtiveram destaque no censo. Ao menos 77,5% dos trabalhadores da Justiça tiveram ideias ou soluções inovadoras para melhorar o trabalho recentemente.

Cerca de 88% dos servidores da área administrativa disseram que realizam boas práticas quase sempre. No mesmo patamar, seguem os profissionais da área judiciária. Conforme a pesquisa, 81% desses trabalhadores empregam ideias criativas para melhoria do trabalho também quase sempre. No levantamento foi destacada a proatividade dos servidores quanto à especialização em suas atividades profissionais. Entre os participantes do censo, 96,1% deles responderam que têm motivação para aprender mais sobre o trabalho que desempenham.

Nesse quesito, o grau de motivação para se qualificar no trabalho ficou equilibrado entre servidores das áreas administrativa e judiciária, com cerca de 65% dos profissionais que afirmaram estar sempre dispostos a aprender. A pesquisa, no entanto, revela insatisfação dos profissionais quanto à preocupação dos tribunais e conselhos para com a qualidade de vida dos servidores e saúde no trabalho. Apenas 39,8% dos trabalhadores afirmaram satisfação com os órgãos do Judiciário nesse critério. Para 56% dos servidores faltam melhorias nas rotinas de trabalho no âmbito do tribunal ou conselho no qual são lotados.

Fonte: Assessoria de Comunicação da ASSOJAF-GO | NOZZZ Comunicação

3 comentários:

  1. São justiças relativamente novas, característica essa que possibilitou a maioria desses números, pois os concursos são mais recentes com servidores mais novos e qualificados, ao contrário da justiça comum que é mais antiga e possui muitos servidores antigos e sem concurso, pois é bem mais numerosa que o poder judiciário da união. Sendo que atualmente a grande maioria também tem curso superior e pós-graduação. Eu mesmo, tenho 40 anos e, sou OJ do TJ-AL a 11 anos e possuo 02 cursos superiores e 06 Pós-Graduações, além de vários cursos de capacitação na área jurídica; abaixo relacionados :

    Graduação em Direito (ano 1999)
    Graduação em Administração de Empresas ( ano 2000)
    Esp. em Direito Processual (360 h)
    Pós-graduação em Curso de Preparação à carreira jurídica - FESMPA (660 h)
    Pós Graduação em Direito Processual e Preparação Para a Magistratura - ESMAL (680 h)
    Esp. em Gestão de Recursos Humanos (360 h)
    Esp. em Administração Pública (360 h)
    Esp. em Administração de Órgãos do Poder Judiciário e do MP (420 h)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns. Acho que a qualificação é muito importante para todos, para a administração e para os servidores.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Dino. Tenho orgulho de ser OJ.

    Gustavo Duarte
    Oficial de Justiça TJ-AL

    ResponderExcluir

Comente:

Postagens populares

Vídeos: FENOJUS

Loading...