segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Oficial de Justiça é agredida com golpes de faca e de ferro

O caso ocorreu em Votuporanga, no interior de São Paulo

Uma oficial de justiça foi agredida covardemente no dia 10 do mês passado, durante o cumprimento do dever, ao tentar entregar uma notificação para um homem no bairro São João, Votuporanga (SP).

O agressor, usando de um pedaço de ferro e até uma faca, além de danificar o automóvel dela, a deixou ferida no braço.

O caso foi imediatamente denunciado à PM, que fez buscas e conseguiu prender o indivíduo. Ele foi levado ao Plantão Policial e autuado. A oficial de justiça ficou ferida, mas passa bem.

Fonte: Promad

6 comentários:

  1. Isso tem que ser enviado para o site do STF por que eles acham que o risco do Oficial é eventual e agora? Tudo que tem acontecido? Agora o eventual vira regra geral!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. É lamentável, mas a forma de tentar mudar essa mentalidade do STF é fazer com que esses casos virem manchete...sejam divulgados..encaminhados...compartilhados...etc....

    ResponderExcluir
  3. É como eu digo, no passado existiam juízes de verdade, e hoje no judiciário existem verdadeiros PATIFES, FROUXOS E COVARDES, que se escondem atrás de seus seguros e confortávies gabinetes.

    ResponderExcluir
  4. É a total inversão de valores e dos princípios. Está instituido a impunidade neste país.

    ResponderExcluir
  5. Lamentável! Sempre corremos este tipo de violência. E, em se tratando de uma colega, a covardia é inconcebível. Mas não podemos ficar alheios a isso.

    ResponderExcluir
  6. É lamentável uma situação destas. Não é tão difícil de se resolver. Basta vontade administrativa dos Tribunais. Os Agentes de Segurança tem o porte de arma de fogo garantido, quando em serviço, pelo Estatuto do Desarmamento. Sucede que, inexplicavelmente, os Tribunais não estão querendo armar seus seguranças. Vejam o exemplo dos Seguranças do TRT2 (São Paulo). Eles têm viatura tática, porte de arma, armas não letais, colete a prova de balas. Acompanham juízes e oficiais de justiça em situção de risco. Não precisam da boa vontade da polícia militar ou da polícia federal.

    ResponderExcluir

Comente:

Postagens populares

Vídeos: FENOJUS

Loading...