sexta-feira, 29 de abril de 2016

Réu é morto pouco antes de ir a júri no DF; carro levou mais de 50 tiros

Assassinato aconteceu assim que ele estacionou no Fórum de Santa Maria.
Homem era acusado de tentativa de homicídio em 2010 e estava solto.

Raquel Morais e Fernando Caixeta
Do G1 DF



Um homem acusado de tentativa homicídio foi assassinado na manhã desta quinta-feira (28) instantes antes de ir a júri popular no Fórum de Santa Maria, no Distrito Federal. Testemunhas afirmam que ele havia acabado de estacionar no prédio e falava ao telefone com o advogado quando um carro parou ao lado dele e seus ocupantes deram início aos disparos. De acordo com a Polícia Militar, houve mais de 50 tiros.

A vítima foi identificada como Rafael Wanderson Otaviano e tinha 35 anos. Ele era réu em um processo de tentativa de homicídio qualificado ocorrido em 8 de agosto de 2010. Junto com Galba Rogério Otaviano da Silva – que está preso pelo crime –, o acusado teria atirado diversas vezes contra uma pessoa desarmada, que trocava o pneu do carro na QR 103 deSanta Maria. Ambos negavam ter cometido o crime.

O advogado da vítima, Delcio Gomes de Almeida, conta que também havia acabado de estacionar quando o crime ocorreu. "Pelo calor do momento eu não consegui ver muito bem, mas me parece que eram dois indivíduos num carro escuro que já chegaram atirando. Os seguranças do tribunal chegaram a trocar tiros com eles, mas eles estavam fortemente armados e conseguiram fugir", disse.

Perito recolhe cápsulas de munição junto a carro de acusado de tentativa de homicídio morto pouco antes de julgamento no Fórum de Santa Maria na manhã desta quinta (28) (Foto: Fernando Caixeta/G1)

Policiais militares chegaram ao local antes da saída dos assassinos e trocaram tiros com os criminosos. O cabo Johelen Vervloet, do Batalhão Judiciário da PM, disse ao G1 que um grupo da corporação chegava ao fórum para acompanhar o julgamento quando o tiroteio teve início. “Antes de descer da viatura, já começaram os disparos. Descemos rápido da viatura e observamos dois elementos disparando.”

Vervloet afirmou que os policiais atiraram contra os criminosos, que entraram no carro (um modelo sedan de cor escura) e fugiram em direção à região sul de Santa Maria. Segundo ele, os criminosos dispararam contra o carro da polícia durante a fuga, mas nenhum tiro atingiu o veículo. “Nós já avisamos todos os hospitais, porque provavelmente pode ser que alguém tenha sido atingido.”

A sessão do júri estava prevista para começar às 8h30, e Otaviano havia chegado pouco antes de 8h. Preferindo não se identificar, um segurança do fórum afirmou ao G1 que todos os jurados já estavam na recepção quando os disparos começaram.

“Tudo tampado, neblinado, não deu para ver direito. Foram mais de 50 tiros, acabaram com o carro. Tem cartucho no chão para dar com pau. O trem foi feio”, afirmou. “Foi mais ou menos no rumo da entrada do júri. Se fosse na frente da portaria seria perigoso.”

Veículo do Instituto Médico Legal no Fórum de Santa Maria, no Distrito Federal, para recolher corpo de réu assassinado nesta quinta (28) antes de julgamento (Foto: Fernando Caixeta/G1)

O julgamento foi suspenso. Não há informações sobre a possibilidade de cancelamento das outras atividades do fórum, que oficialmente funciona entre 12h e 19h. O prédio fica na Avenida Alagados, umas das pistas principais da região administrativa.

Funcionários que trabalham no posto da Caesb, em frente ao estacionamento em que Otaviano morreu, afirmam que pensaram que o barulho era de fogos de artifícios. "O intervalo entre um tiro e outro era tão pequeno que a gente achou que eram fogos. Eu fiquei imaginando o que alguém estaria comemorando a essa hora da manhã" disse uma funcionária. 

"A gente não sabia muito bem o que estava acontecendo até que alguém falou que era tiro. Também não dava para ver nada porque a neblina estava muito forte. Só depois que o barulho acabou foi que eu pude ir fechar o portão, disse a segurança do posto.

O G1 refez o trajeto da perseguição policial e todos os comerciantes ouvidos confirmaram que viram um carro sedan preto em alta velocidade. "Ele passou aqui a mais de 100 km por hora, ignorou o quebra-molas ali na frente", disse o gerente de uma loja de material de construção. "Eu vi um carro preto em alta velocidade quase batendo em um ônibus aqui nessa esquina. Ele virou descendo aqui [sentido Novo Gama, em Goiás].”

Investigação
A Polícia Civil investiga o crime. Agentes estiveram no fórum para a perícia. A mulher de Otaviano não quis dar entrevista e acompanhou o trabalho. O casal vivia em Santa Maria e tem um filho de 2 anos. Ninguém havia sido preso até a última atualização desta reportagem.

InfoJus BRASIL: Com informações do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente:

Postagens populares

Vídeos: FENOJUS

Loading...