sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

TJAM: Corregedor Geral reune com oficiais de Justiça

 
Na manhã dessa quinta-feira no auditório do Fórum Henoch Reis, o corregedor geral do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargador Yedo Simões, participou de uma reunião com a presença do juiz de Direito coordenador da Central de mandados , Didimo Santana Barros Filho, e a classe de oficiais de Justiça do TJAM, representada pela presidente da associação, Marieda José Mancilha Rodrigues.

A reunião discutiu, entre outras pautas, a necessidade de melhoria da administração de entrega de mandados por parte dos oficiais, a devolução de mandados, comunicados, bem como as dificuldades da classe para melhoria da atividade. Aproveitando a presença do desembargador Yedo, os oficiais apresentaram as deficiências que dificultam um melhor desempenho na atividade.

Ao iniciar o diálogo, o corregedor-geral frisou que a corregedoria está de portas abertas. “Não estamos aqui para punir, mas para orientar. Para fazermos a Justiça respeitada pela Sociedade a partir do bom trabalho que desenvolvermos para a melhoria da prestação jurisdicional”, afirmou.

Para o corregedor geral, o momento é de buscar soluções. “Problemas nós temos, mas se forem apontados é mais fácil solucionar”, afirmou. Yedo Simões externou o pensamento da atual administração do TJAM, participativa e proativa, que vem objetivando a qualidade nos serviços e a valorização do servidor em meio as dificuldades do Poder Judiciário. “Não adianta somente reclamar, vamos colaborar com ideias”, solicitou o desembargador Yedo.

Segundo a presidente da Associação dos Oficiais de Justiça do Amazonas, o maior problema, atualmente, é o quadro deficiente pra cumprimento da demanda de mandados e o escasso número de vagas previstas para o concurso que, segundo Marieda, não supre a necessidade da distribuição de documentos de processos.

“Há uma defasagem de 200 oficiais em todo Estado. Temos, ativos, 95 oficiais ligados à Central de mandados. Cerca de 25 desse total está licenciado, restando 70 para atender toda a capital”, salientou Marieda.

“Estamos muito esperançosos no trabalho do desembargador Yedo, que está mostrando vontade de melhorar a situação e deixar delineadas questões como a quantidade e a legalidade da remuneração do oficial de Justiça”, afirmou Marieda.

Durante a discussão dos vários problemas que foram levados ao corregedor geral de Justiça, o desembargador Yedo Simões apontou sugestões, como a necessidade dos oficiais se adequarem à informatização do Poder Judiciário. “Vamos nos esforçar para utilizar a informática, buscar conhecimento básico para utilizar a internet e o sistema. Isso vai fazer com que vocês produzam mais, pois certificarão mais mandados digitalmente, terão mais tempo para cumprir outras demandas e irão otimizar o trabalho”, salientou o desembargador Yedo Simões.

Fonte: TJAM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente:

Postagens populares

Vídeos: FENOJUS

Loading...