sexta-feira, 25 de outubro de 2013

ALAGOAS: Oficiais de Justiça terão apoio da PM em áreas violentas da capital

Após denúncia do TNH1 sobre expulsão de servidor do TJ por traficantes no Mutange, Defesa Social anuncia segurança
Após denúncia um oficial de Justiça que foi rendido por traficantes no bairro do Mutange e impedido de entregar um mandado, a Secretaria de Defesa Social anunciou nesta sexta-feira (25) que vai dar segurança a esses profissionais nas áreas mais violentas da capital. A partir de agora, a Polícia Militar vai acompanhar quando for solicitada a entrega de mandados da Justiça nas áreas mais violentas da capital.

O corregedor do Tribunal de Justiça, desembargador Alcides Gusmão, esteve reunido nesta manhã com o secretário de Defesa Social, Dário César, para relatar os problemas vividos pelos oficiais de justiça.

Segundo a assessoria de comunicação do TJ, a Seds se comprometeu em oferecer reforço da PM quando os oficiais forem realizar entrega de mandados em áreas violentas da cidade.

Gusmão destacou a importância da Polícia Militar no apoio à atividade judiciária, citando as ações de reintegração de posse, onde os oficiais de justiça contam com apoio policial e inclusive, com a disponibilização de coletes à prova de balas.

"Os oficiais têm dificuldades para cumprir os mandados em algumas áreas. Nessas situações, é aconselhável que eles sejam acompanhados por policiais", afirmou o corregedor.

Os oficiais passarão a ter um número de contato direto com o oficial de operações da área onde o documento será entregue. A Justiça terá que comunicar com pelo menos dois dias de antecedência que irá naquela localidade e vai precisar de reforço da polícia.

Na próxima quarta-feira (30), os oficiais de justiça irão se reunir com representantes da cúpula da segurança pública para mapear as áreas mais violentas da cidade e traçar as estratégias a serem tomadas.

O caso

Na última segunda-feira (21) o TNH1 noticiou o relato de um oficial de justiça que foi rendido por traficantes do bairro do Mutange e impedido de cumprir um mandado na localidade.

Segundo o oficial de Justiça, que pediu para não ser identificado por temer represálias de traficantes, a ameaça ocorreu na semana passada, quando ele foi cumprir uma intimação em uma ação cível.

A vítima contou que foi cercada por três homens armados que apontaram uma pistola para o seu pescoço e o revistaram, indagando o que ele estava fazendo no bairro.

Tráfico rende oficial de Justiça e o impede de cumprir mandado

A Corregedoria do Tribunal de Justiça reconheceu o risco que é vivido pelos oficiais e que iria recorrer à Defesa Social para buscar ajuda. A Associação dos Servidores da Justiça do Estado de Alagoas (Aserjus) afirmou que casos como o ocorrido no Mutange são frequentes e acontecem quase todos os dias.

Robert Manso, que é presidente da Aserjus e oficial de justiça, conta que já foi alvo da ação de criminosos na periferia de Maceió. “Há uns quatro anos meu carro, que é a ‘viatura’ que usamos, foi cravejado de balas na Grota Santa Helena, na Chã da Jaqueira. O Tribunal de Justiça (TJ) não oferece nenhum carro ou viatura para que a gente possa cumprir os mandados. Temos que nos arriscar, indo de cara limpa e usando nosso carro particular, que é o carro usado também por nossa família”, disse Manso.
 
Fonte: TNH1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente:

Postagens populares

Vídeos: FENOJUS

Loading...