sábado, 25 de agosto de 2012

Record impede que oficial de Justiça entre em contato com Nicole Bahls

 
A Record impediu que um oficial de Justiça entregasse uma citação a Nicole Bahls dentro da “Fazenda”, em Itu, interior de São Paulo, no último dia 16 de agosto. A modelo está proibida de citar o nome de Juju Salimeno no reality show.

O oficial, acompanhado do advogado da loura, Dr. Adriano Ribeiro da Silva, foi barrado pelo produtor Carlos César Gonçalves, que justificou ter ordens do departamento jurídico da emisssora de bloquear o acesso aos participantes. A assessoria da Record nega.

Fonte: Extra

14 comentários:

  1. Isso faz parte do jogo, o trabalho do Oficial de justiça foi feito, certifica o ocorrido e o juiz que tome suas providencias, temos que aprender a seguir a lei a risca e não tomar partido, pois corda só estoura do lado mais fraco!

    ResponderExcluir
  2. Não concordo. Acho que o oficial de Justiça deveria ter solicitado apoio policial, pois houve crime contra a Justiça. Nesse caso, havendo crimenão é necessário despacho judicial solicitando apoio policial, há flagrante. Daqui a pouco o oficial de Justiça não pode entrar em nenhuma empresa, pois as empresas vão criar regimentos internos e ficará acima do CPC, CPP, etc.

    ResponderExcluir
  3. Dino, a minha posição é justamente para provocar a mudança pois a lei diz que o deve ser feito é solicitar auxilio de força policial, mas não permite que seja feito direto( pelo menos aqui na Bahia é assim) é preciso se certificar para que o juiz mande expedir oficio solicitando força policial.

    ResponderExcluir
  4. Não sei vc lembra de um caso ocorrido aqui onde um tratorista desobedeceu uma ordem de derrubar uma casa? ele recebeu ordem de prisão e ao invés da PM prender como determinado pelo Oficial, a PM levou foi para o Hospital! A policia aqui faz tudo para não entrar em problema, e os juízes, não dão a menor importância quando certificamos desobediência, simplesmente ordenar a expedição do oficio!

    ResponderExcluir
  5. Itailson, entendo a sua posição, ainda mais com o problema que vcs tem de solicitar apoio policial. Mas veja bem: a prisão em flagrante pode ser feita por qualquer pessoa e deve (obrigação) ser feita pela polícia.

    Não entendo é porque qualquer pessoa pode ligar e chamar a polícia quando alguém está cometendo um crime e vocês oficiais de Justiça da Bahia não podem!!!!!!!!!!!!!!!!! Será que vcs pedirem outra pessoa para ligar para a polícia iria resolver?

    ResponderExcluir
  6. Dino, foi justamente esse questionamento que já fizemos há algum tempo a um major ligado ao comando! Numa situação de flagrante eles atendem sim, mas se um EX; Um porteiro de prédio nos diz que não vamos entrar e chamarmos a policia, vai ficar por isso mesmo, pois aqui terceirizaram o atendimento ao 190 e até os próprios PMs encontram dificuldade em pedir apoio fora de serviço.

    ResponderExcluir
  7. Marcos Antonio:
    Itailson. O Dino esta revestido de todas as razões. Nesse caso, quem deve dar a ordem de prisão é sempre o Oficial de Justiça, pois, é ele quem esta cumprindo e exececutando a ordem judicial, e mais, quem deve lavrar o auto de resistência é o próprio Oficial de Justiça, entregando o preso juntamente com o auto de resistência a Autoridade Policial -Delegado-, a PM é solicitada para dar a devida guarida ao Oficial de Justiça, e na situação fica ao comando do Oficial até o fiel cumprimento da ordem judicial. Também não consigo entender porque ai na Bahia, as coisas são porcessadas de forma diferente as orientações dos códigos. Aqui em minha cidade -Tangará da Serra/MT- quando existem pequenos problemas dessa natureza, o colega solicita outro Oficial de Justiça, e mais outro se for precisso, prende quantas pessoas obstruirem o cumprimento da ordem judicial, lavra-se o auto de resistência, e se precisso for algema-se o resistente, e entregá-o ao CISC, seguindo as determinações dos Códigos e Súmulas (STF/uso de algemas)

    ResponderExcluir
  8. Quando alguém tenta obstruir meu trabalho, ainda mais de forma arrogante, seja quem for, para mim passa a ser questão de honra. Tomo todas as providências.

    Existe um pastor e radialista respondendo ação penal porque me desacatou quando eu cumpria um mandado de intimação.

    Quando trabalhei em Santo Antônio do Descoberto/GO duas assessoras do prefeito registraram ocorrência alegando que eu teria cometido crime de abuso de poder quando cumpri um mandado de busca e apreensão na Prefeitura. Na verdade cumpri o mandado de forma tranquila e bem discreta. O inquérito (o delegado abriu inquérito, mesmo sendo caso de aplicar a lei 9.099) foi arquivado assim que chegou no fórum. Entrei com ação de reparação de danos morais. Ganhei a causa, com atualização não chegou a 3.000,00 o valor que recebi, mas valeu a pena, pois tenho certeza que elas irão pensar bem antes de tentar prejudicar algum oficial de Justiça.

    Temos que nos fazer respeitar.

    ResponderExcluir
  9. Colegas, aqui o que aconteceria era iriamos todos para a delegacia perderíamos horas esperando o B.O. e no final sairíamos todos juntos pois seria registrado um auto e liberariam em seguida, em suma quem perderia tempo seria eu.
    Aqui em salvador não existe central de mandado ou seja nós não nos conhecemos para solicitarmos ajuda um ao outro é cada um por si.
    Aqui oficial de Justiça não cumpre mandado de prisão e pior a maioria dos juízes, não dão a minima para as certidões com explicações do por que a diligencia foi negativa apenas mandam refazer e ordenam força policial e pronto.

    ResponderExcluir

Comente:

Postagens populares

Vídeos: FENOJUS

Loading...